sexta-feira, 24 de julho de 2020

Adestramento de Cães: tudo o que você precisa saber!



Adestramento de cães: tudo o que você precisa saber!


Todo proprietário de filhote deve entender imediatamente a importância do adestramento de cães. De fato, treinar seu cão não significa apenas que ele executa algumas ações sob comando, mas significa ativar processos fundamentais para que seu desenvolvimento mental, e não apenas, ocorra da melhor maneira.
Infelizmente, muitas vezes esse tipo de operação é realizado quando é tarde demais ou quando o cão já é grande e já tem muitos hábitos errados. A melhor abordagem é começar a pensar nisso quando ele ainda é filhote. Contudo, não é impossível.
Para ajudar você a entender mais sobre o adestramento de cães, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

Existe uma idade “certa”?

A American Veterinary Society descreveu em vários artigos como o treinamento deve começar durante os primeiros três meses de vida do filhote.
Obviamente, as metodologias sobre como treinar um filhote são um pouco diferentes de um cão adulto. Os filhotes aprendem rapidamente e se adaptam a qualquer estímulo de novos ambientes.
Nessa idade, a curiosidade supera o medo. Da mesma forma, os filhotes podem se tornar temerosos e agressivos se não forem treinados durante esse período crucial.
Nesse período, é essencial expor os filhotes ao maior número possível de pessoas, lugares e estímulos. De qualquer forma, os exercícios básicos que descrevem como educar um cachorro e como educar um cão adulto são idênticos.
Por esse motivo, não tenha medo de começar a treinar um cão já adulto. Pode demorar mais, mas seu cão irá aprender algo sim.
Os cães adultos precisam, antes de tudo, confiar no dono. Uma vez criado esse vínculo de respeito mútuo, eles sempre podem estar prontos para iniciar um adestramento de cães. Apenas arme-se com um pouco mais de paciência do que um filhote, mas os resultados serão iguais.


Correção e recompensa no adestramento de cães

Numerosos estudos mostraram como o treinamento de cães se baseia nos conceitos fundamentais de correção e recompensa.
O que é correção? Significa ensinar ao seu cão a diferença entre comportamento correto e incorreto. A correção do seu filhote nunca deve incluir punição, violência física ou palmadas. Dizer um “Não!” será mais do que suficiente para o seu cão.
O que é uma recompensa? Estas são as iguarias dadas ao cão por um trabalho bem feito! Esses itens podem ser qualquer coisa que ele ame, como um brinquedo ou comida favorita. Quando seu cão se comporta como um “bom cachorro”, ele merece um prêmio!
No contexto de adestramento de cães, o uso de prêmios deve ser extenso no início do treinamento, mas deve ser reduzido a esporádico, para que o nosso amigo aprenda a executar os comandos mesmo sem a ajuda dos prêmios. .
Da mesma forma, os elogios por voz sempre devem ser muitos e abundantes quando o cão se comporta bem. Será uma alegria para ele nos ver felizes!


Como treinar meu cão?

Se você deseja começar a treinar seu cão, independente da idade dele, eu recomendo que você conheça esse curso aqui.
Através dele, você poderá entender tudo o que precisa ser feito para que seu cão comece a entender o que você diz.
Dessa forma, em pouco tempo você poderá ver os primeiros resultados e assim, ter e dar uma melhor qualidade de vida para vocês dois!
Gostou de saber mais sobre a importância do adestramento de cães? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

sábado, 20 de junho de 2020

Alimentar cães com chocolate: você sabe quais os malefícios?

Entre todos os alimentos que existem no mundo, o chocolate é o favorito de muitos, não apenas pelo sabor delicioso e incomparável, mas também pelos benefícios que ele pode trazer à nossa saúde, importante ao ponto que muitos médicos recomendam o consumo diário. Ainda assim, alimentar cães com chocolate não é uma boa ideia.
De fato, embora os cães experimentem o mesmo prazer que nós ao comê-lo, o chocolate é realmente um daqueles alimentos que o cachorro nunca deve consumir.
Para ajudar você a entender mais sobre os malefícios de alimentar cães com chocolate, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!


Alimentar cães com chocolate é a mesma coisa que usar veneno

Aparentemente, embora seja uma sobremesa deliciosa para o seu cão, dar-lhe chocolate é equivalente a fazê-lo consumir qualquer tipo de veneno, já que o cacau contém uma molécula chamada teobromina – substância muito semelhante à cafeína – que intoxica e traz muito dano ao cão, provando ser fatal em alguns casos.
A razão pela qual esse alimento é tão prejudicial para nossos cães, mas não para nós, reside simplesmente no fato de estarmos lidando com organismos completamente diferentes.
De fato, os seres humanos podem metabolizar a teobromina facilmente e em pouco tempo, enquanto nos cães isso não acontece, pois a decomposição e eliminação dessa molécula é extremamente difícil para o organismo.
De acordo com uma pesquisa realizada sobre a intoxicação de cães causada por chocolate, foi determinado que a teobromina, antes de ser expelida, permanece no organismo dos cães entre 17 e 18 horas, até três dias em casos extremos, levando o animal à morte.


Quais são os sintomas da intoxicação?

Se seu cão está intoxicado, há vários sintomas a serem observados para entender o que seu amiguinho precisa. Estes são os mais comuns:
  • Diarreia
  • Vômito
  • Incontinência urinaria
  • Poliúria
  • Fraqueza
Quando a intoxicação é muito mais grave, os sintomas são muito mais fortes:
  • Crises convulsivas
  • Arritmia
  • Taquicardia
  • Neuropatia
  • Tremores
A melhor maneira de ajudar seu cão depois que ele ingeriu um pouco de chocolate é o fazer vomitar, se tiver sido consumido nas duas horas passadas. Caso contrário, leve-o ao veterinário.

Qual é a quantidade de cacau que o cão pode consumir?

Em primeiro lugar, deve-se levar em consideração que, como existem diferentes tipos de raças de cães, nem todos os organismos são iguais.
Portanto, não é fácil definir a quantidade precisa de chocolate que o cão pode consumir, bem como a quantidade que pode ser prejudicial para a saúde dele.
No entanto, um fator determinante é certamente o tamanho do cão. É evidente, de fato, que cães pequenos são muito mais vulneráveis ​​que raças grandes, sendo para eles muito mais difíceis de suportar teobromina, com um consequente risco muito alto de intoxicação.
Falando nisso, vamos tentar fornecer uma pequena proporção entre a quantidade de chocolate permitida e o tamanho do cachorro:
  • Como é evidente, para um filhote que pesa menos de um quilo, será impossível digerir qualquer quantidade de cacau, mesmo que mínima, e, portanto, é aconselhável garantir que ele nunca o coma.
  • Por outro lado, os cães com peso entre 10 e 12 quilos sentirão o coração acelerar ao consumir 300 gramas de chocolate preto de baixa pureza. Se a pureza do chocolate for alta, 250 gramas podem ser suficientes para o animal morrer.
Tanto quanto é possível ver, mesmo que os cães pareçam se assemelhar a nós, existem realmente diferenças importantes às quais devemos sempre prestar muita atenção.
Em conclusão, se você é um bom dono e ama seu animal de estimação, não o deixe comer chocolate.
Gostou de saber mais sobre os malefícios de alimentar cães com chocolate? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Gatos: por que eles gostam de caixas e dormem tanto?

Gatos são animais brincalhões, capazes de se distrair e brincar com tudo o que encontram. Existem muitas pessoas que compram acessórios diferentes para o gato, gastando muito dinheiro, mas a verdade, o gato está feliz com apenas uma caixa perto dele.
Para ajudar você a entender mais sobre os motivos dos gatos gostarem tanto de caixas e de dormir, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

Motivos pelos quais os gatos amam caixas

O instinto de sobrevivência

Embora seja improvável que algo dentro de casa e apartamentos os ataque, os gatos têm o instinto de se proteger e permanecer seguros no caso de predadores chegarem.
É a mesma razão pela qual eles geralmente preferem dormir em locais elevados, como móveis, prateleiras ou um sofá, em vez de no chão.
Lembre-se de que um gato dorme a maior parte do tempo e, para poder fazê-lo com total tranquilidade, deve encontrar um lugar que o faça se sentir seguro.
Nas caixas acontece o mesmo: para o gato, é como um covil onde se sente seguro e protegido de perigos e, além disso, permite que ele se isole e tenha um lugar tranquilo para si.

A caçada

Sem dúvida, um gatinho é um animal adorável e macio, mas você não deve esquecer que, se ele vivesse livre, seria um autêntico caçador, um predador natural de animais menores.
Na caixa, o gato parece que está prestes a emboscar sua próxima presa, ele está pronto para surpreendê-la quando menos espera.
É por esse motivo que, muitas vezes, quando você se aproxima dele, ele arranha sua perna ou de repente sai para pegar seu rato de pelúcia. Estar em uma caixa faz com que ele se sinta um verdadeiro predador.

A temperatura

Com certeza você notou que seu gato adora ficar ao sol, se escondendo entre as almofadas do sofá ou as cobertas da cama.
Ele faz isso principalmente porque seu corpo precisa se manter a uma temperatura de 36 graus. Portanto, procura os melhores lugares para se aquecer.
As caixas oferecem um refúgio quente e seguro para o animal, por isso não é surpreendente ver que o gato enlouquece assim que vê uma dentro de casa.

Curiosidade

É bem verdade: gatos são animais curiosos e qualquer um que tenha um gato está ciente disso. Esses animais passam horas cheirando, mordendo, tocando e escorregando em todos os lugares, especialmente em coisas que não sabem o que é.
Se você comprou algo que estava em uma caixa e o deixou vazia ao alcance do gato, verá que ele não hesitará em fuçar.
Agora que você já entendeu porque os gatos adoram caixas, vamos descobrir porque eles dormem a maior parte do dia.

Por que os gatos dormem tanto?


Os gatos são considerados um dos animais mais sonolentos de todos os tempos: passam 60% de suas vidas dormindo, em média 16 horas por dia, e cochilam em qualquer lugar da casa, desde que estejam longe de perigos e ruídos. Mas por que eles dormem tanto?
Como outros felinos, o gato tem um instinto predatório que ocorre principalmente à noite ou nas horas do crepúsculo.
Durante o resto do dia, o gato está felizmente enrolado cochilando em algum lugar, para recarregar sua energia… Você sabe, a caça exige um esforço considerável em termos de esforço!
Isso se aplica a todos os gatos, mesmo aos domésticos, que geralmente não precisam caçar seus alimentos, mas mantêm esses comportamentos por puro instinto.


Gostou de saber mais sobre os gatos? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

domingo, 7 de junho de 2020

Doenças em cães: as 5 mais frequentes

A prevenção e a educação são as melhores ferramentas que os proprietários têm em mãos para cuidar de seus animais de estimação. No momento em que você souber reconhecer os sintomas de doenças em cães, poderá intervir diretamente ou procurar o veterinário o mais rápido possível.
Isso significa aumentar significativamente as chances de recuperação do seu amigo de quatro patas.
Para ajudar você a entender mais sobre as doenças em cães mais frequentes, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

Doenças em cães mais frequentes que você precisa conhecer

É essencial prestar atenção às mudanças nos hábitos e comportamentos do seu animal, pois muitas vezes esses sinais indicam que algo está errado.
Os sintomas nem sempre são visíveis, como no caso de vômitos ou diarreia. Às vezes você perceberá exaustão, fadiga, apatia ou até pouca fome e sede. Então, vamos descobrir mais sobre as doenças em cães mais frequentes:

Sarna

É uma condição grave da pele que também pode aparecer em gatos e afetar as pessoas. A sarna é causada por parasitas microscópicos chamados ácaros que perfuram a derme e a infectam.
Existem dois tipos de sarna mais frequentes em cães: sarcóptico – contagioso ao entrar em contato com um animal infectado – e demodécico. Este último está ligado a problemas imunológicos ou genéticos.

Parasitas internos

O grupo mais comum de “vermes” que afeta os cães é a tênia. De forma plana e alojado no intestino, alimenta-se de alimentos ingeridos pelo animal. O contágio ocorre através das fezes infectadas do cão ou pela ingestão de alimentos crus ou mal cozidos.
É essencial tratar seu animal de estimação através do tratamento indicado pelo veterinário. Filhotes e cães adultos devem ser verificados, pois os parasitas podem afetar até cães mais velhos. Às vezes, esses parasitas podem ser detectados simplesmente olhando para as fezes.

Osteoartrite

Esta é uma das doenças mais frequentes em cães mais velhos e em algumas raças em particular, como o pastor alemão ou o doberman. A osteoartrite é causada por inflamação e degeneração das articulações, principalmente do quadril e cotovelo.
O risco de sofrer com esse problema aumenta se o animal é obeso ou não faz atividade física suficiente.

Parvovírus

Esta doença afeta principalmente o sistema digestivo do animal de estimação, mas também causa a diminuição do número de glóbulos vermelhos no sangue e impede o bom funcionamento do coração e do intestino.
Os sintomas do parvovírus canino incluem vômito, falta de apetite, sangue nas fezes, fadiga, diarreia, depressão, falta de energia e desidratação. A boa notícia é que ela pode ser evitada com uma vacina.

Gastrite

É mais comum do que você pensa, pois nem sempre é diagnosticado corretamente. A gastrite é uma inflamação ou irritação da mucosa gástrica e é causada por má nutrição: alimentos inadequados, porções excessivamente grandes ou ingestão rápida de alimentos.
Os principais sintomas são vômitos e distensão abdominal (barriga inchada), mas a gastrite canina também pode incluir perda de apetite ou peso, falta de energia e produção excessiva de saliva.


Gostou de saber mais sobre as doenças em cães mais frequentes? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Cão comendo grama e cocô: quais os motivos?


Você já notou o seu cão comendo grama e cocô? Felizmente, ele não é o único e também não está maluco! Os cães geralmente têm alguns hábitos que nós não conseguimos entender a primeira vista.
Para ajudar você a entender mais sobre o porquê que seu cão está comendo grama e cocô, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

Cão comendo grama e cocô: por quê?

A maioria dos cães come grama como os gatos para desempenhar funções fisiológicas.
Muitas vezes, quando levamos nosso amigo peludo para o parque, o vemos rolando na grama mordiscando entre um salto e outro. Ao contrário dos gatos que fazem isso diariamente, o cão morde a grama em várias circunstâncias.
Esse mamífero, mesmo que pertença à família Canidae, ou seja, a dos lobos, não é puramente carnívoro, mas gosta de mastigar frutas e vegetais como o homem.
A adição de frutas e vegetais à dieta deriva de um comportamento desenvolvido ao longo do tempo. Em particular, quando o cão era selvagem, ele comia grama ou vegetais para compensar a parte que faltava dos nutrientes que vinham de viver uma aventura.
Ao longo dos anos, a evolução os permitiu deixar de lado esse comportamento, tornando-o um instinto secundário. Hoje, o cão abandonou essa dieta dedicando-se apenas à ingestão de grama de vez em quando ou de frutas.


Mas por que o cachorro come grama?

Como dito anteriormente, é um comportamento natural, que deriva de um instinto primordial deixado de lado pela evolução. Às vezes, porém, em caso de necessidade, eles voltam a adotar esse hábito.
Como os gatos, eles comem grama para eliminar naturalmente o gás no estômago após uma dor abdominal. Quando o cão come grama bem mastigada, ela passa imperturbável por todo o trato digestivo até o intestino, onde é expelido pelas fezes.
Se, por outro lado, os pedaços de grama não forem mastigados bem, isso fará cócegas no estômago, causando um movimento das paredes do mesmo e do esôfago, induzindo vômitos e facilitando a expulsão de alimentos não digeridos ou de corpos estranhos.
Outra razão reside na possibilidade de variar a dieta, na verdade eles costumam comer grama ou frutas porque os acham saborosos.
Se esse comportamento não ocorrer esporadicamente, mas ocorrer com frequência, significa que algo sério está errado. Nesse caso, consulte seu veterinário que fará testes específicos para descobrir o motivo.


Por que os cães comem cocô?

Os cães comem cocô porque, na natureza, é uma prática generalizada entre os animais selvagens. Isso acontece porque nas fezes existem restos dos alimentos que ingerem e, portanto, ainda contêm muitas enzimas e nutrientes.
Acontece que o filhote ou o cão adulto, sentindo o cheiro do alimento dentro do cocô, tem o instinto de comê-lo. Outras razões mais preocupantes são a escassez de alimentos, necessidade de atenção ou má digestão.
Isso acontece com muita frequência em filhotes, mas também em cadelas que acabaram de dar à luz, porque elas tendem a manter o canil e a área onde os filhotes ficam limpos.
De fato, também acontece que eles fazem isso por tédio ou porque passam muitas horas sozinhos e ficam com fome e tristeza. Os motivos, em qualquer caso, podem ser muitos e apenas o veterinário poderá esclarecer qualquer dúvida e encontrar a cura certa.
Gostou de saber o porquê seu cão está comendo grama e cocô? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Cuidador de animais: 5 habilidades para ser um!

O melhor trabalho do mundo? Certamente é ser um cuidador de animais, não é mesmo? Graças à tecnologia moderna, hoje é possível se tornar um através dos muitos aplicativos e sites destinados para isso fim.
Contudo, ainda sim, é preciso desenvolver algumas habilidades para tornar esse trabalho o mais eficaz possível.
Para ajudar você a entender mais sobre o trabalho de cuidador de animais e quais as habilidades necessárias, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

5 habilidades necessárias para ser um cuidador de animais

1) Você é um extraordinário amante dos animais!

Entre os seus amigos, você é conhecido como aquele que prefere um animal ao seu lado que um humano. Além disso, você não tem medo e passa a mão em qualquer cão que vê na rua.
Em outras palavras, você é um amante de animais loucos! Esta é uma condição essencial para o serviço de cuidador de animais, porque o bem-estar dos animais será sua prioridade número um!


2) Você tem experiência em cuidados com animais

Você não é apenas louco por animais, mas também tem uma vasta experiência em seus cuidados.
Verifique se sua experiência específica corresponde aos serviços que você deseja promover: se você tem um conhecimento profundo de gatos, não faria sentido oferecer um serviço de passear com cães.
Forneça todos os detalhes de sua experiência com animais e o que isso implica em seu perfil, não se esqueça de destacar as habilidades relevantes, como treinamento de cães, primeiros socorros, tratamento de problemas comportamentais e assim por diante.

3) Você se sente responsável

Um cuidador de animais deve ter 18 anos de idade ou mais. Também é fundamental que você tenha um forte senso de responsabilidade. Em termos concretos, isso significa ter acordos claros e respeitar os donos dos animais.
O bem-estar animal deve ser sua prioridade número um e você deve saber o que fazer em caso de emergência. Você atribui grande importância à segurança e respeita os “valores de um bom cuidador de animais“.

4) Você tem excelentes habilidades de comunicação

Aqueles que desejam se tornar cuidadores de animais devem não apenas se dar bem com os animais, mas também com as pessoas.
Isso significa: responder rapidamente às mensagens, responder às perguntas dos proprietários com a maior precisão possível e fazer suas próprias perguntas, se for o caso: afinal, você é um cuidador de animais e naturalmente deseja saber tudo sobre o animal que você vai cuidar!
Mostre aos donos como você é confiável e responsável. Seja honesto sobre o que você não sabe. Você não pode saber tudo, e assim, discuta abertamente suas dúvidas ou perguntas.

5) Você responde rapidamente e é flexível

Como um cuidador de animais, você obviamente determinará sua própria disponibilidade e estará livre para recusar solicitações de reserva quando quiser.
No entanto, forneça uma resposta profissional e educada a todos os pedidos, para que os donos dos animais saibam o que esperar.
Também é esperado que você seja flexível o suficiente para lidar com qualquer coisa que possa acontecer.
Gostou de saber mais sobre o trabalho de cuidador de animais? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

sábado, 6 de junho de 2020

Como ensinar seu Cão a Sentar

Ensine seu Cão a Sentar

Quem não se derrete ao ver os cães com seus lindos focinhos se sentando? Inegavelmente eles arrancam suspiros quando realizam truques que todo dono deseja ver os bichinhos fazerem. O truque clássico de sentar é o primeiro que deve ser ensinado ao animal.
Assim sendo quando aprende ao comando e cumpre sentando, ensinar ao animal demais truques se torna uma tarefa mais fácil. Contudo para conseguir que seu animal responda a comandos e aprenda cumprir a eles existem meios específicos. O ato de se comunicar com o cão e receber respostas dele requer dedicação.


Com o fim de te orientar para que você aprenda como ensinar seu cão a sentar selecionamos alguns passos que são fundamentais para obter sucesso com o animal. Se ligue agora nas dicas abaixo: 
Primeiro passo para ensinar seu cão a sentar:
Em princípio para que você ensine seu cão a sentar é necessário aprender se comunicar com o animal. Estimular que ele responda a seus comandos com petiscos ou brincadeiras que atraiam ao pet. Assim sendo o animal aprende e se diverte.
Associar para o animal que obedecer a um comando do dono traz benefícios a ele é o ponto de partida para ensinar o cão a sentar. Ele começa entender que realizar o truque é algo positivo e se acostuma a seguir ao direcionamento do dono. Já que é recompensado para isso.
Passo número dois:
Munido dos petiscos ideias para serem usados como recompensa você precisa adequar seu comando da seguinte forma: 
        Segure o a comidinha perto do focinho do cão, em seguida movimente a mão levando-a para a parte do rabo do animal.
        O habito é de que o cachorro nesse momento siga a mão do dono com os olhos em busca do petisco.
        Para conseguir acompanhar o animal ira se sentar.
        No momento em que ele sentar o recompense com o petisco.
        Para que ele de fato aprenda repita por diversas vezes o mesmo procedimento.
        Quando o animal aprender a sentar seguindo sua mão com o petisco comece a dizer “senta” sempre que ele for se sentar.
        Dessa forma o cão passa a entender tanto o comando feito através do movimento com a mão como o comando dado pela voz.
Por fim seguindo esse caminho você irá conseguir ensinar seu cão a sentar, em seguida será de fácil entendimento a ele outros comandos. Aprendido esse primeiro truque o animal começa a obedecer e aprender outros com mais facilidade.
Desse modo você acabou de aprender a forma correta, rápida e eficaz de ensinar seu cão a sentar. Agora resta a você praticar reiteradamente o comando e deixar o animal bem treinado para praticar o truque.